Prestação de contas do COI revela empréstimo de US$ 5 milhões para a União Internacional de Ciclismo

Prestação de contas do COI revela empréstimo de US$ 5 milhões para a União Internacional de Ciclismo

O valor tem como objetivo minimizar o impacto causado pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Outras 15 federações internacionais foram beneficiadas

Fonte David Owen / Inside the Games
30 de julho de 2021 / Curitiba (PR)

A Internationale Cycliste Union (UCI) obteve um empréstimo de US$ 5 milhões do Comitê Olímpico Internacional (COI) para ajudar a mitigar o impacto do adiamento dos Jogos de Tóquio em 2020. O número foi revelado na prestação de contas de 2020, recém-publicada pelo órgão.

Esse é o maior empréstimo que já veio à tona desde que o COI publicou uma lista de 15 federações internacionais para as quais estava emprestando dinheiro há pouco mais de um ano.

David Lappartient, presidente da UCI enfatizou que 2020 foi um ano muito difícil para o esporte mundial © Tellerreport

A diretora geral da UCI, Amina Lanaya, disse que a pandemia “foi, e continua sendo, um grande desafio para nossa federação. Hoje, o futuro parece mais brilhante, mas estamos preparados para agir caso a situação atual dure mais do que o esperado, e essa foi uma das medidas tomadas nesse sentido.”

Segundo a União Internacional de Ciclismo, a receita anual da entidade caiu cerca de um quarto. Ou seja, baixou de US$ 44,5 milhões em 2019 para US$ 31,8 milhões em 2020.

O presidente da UCI David Lappartient enfatizou que 2020 foi “um ano muito difícil para o esporte mundial”, mas afirmou que a organização está agora em “uma posição muito boa para retomar o crescimento do esporte e uma evolução saudável da nossa sociedade.”

Os ativos, no final do ano, ficaram em confortáveis ​​US$ 99,1 milhões, dos quais US$ 62,2 milhões foram classificados como de longo prazo.

A UCI está à procura de um novo país para sediar o Campeonato Mundial de Ciclismo de Pista deste ano © Getty Images

O COI anunciou em julho do ano passado que alocou cerca de US$ 63 milhões às federações internacionais em dificuldades, e, ao todo, 15 entidades participantes dos Jogos Olímpicos de Verão receberam empréstimos. Na época, por algum motivo, os valores específicos disponibilizados para as federações individualmente não foram divulgados.

No entanto, os detalhes estão começando a surgir, com a Federação Internacional de Natação (FINA) tendo recebido US$ 1 milhão, a World Sailing US$ 3,1 milhões, a Federação Internacional de Ginástica (FIG) cerca de US$ 1,5 milhão e a Federação Internacional de Tênis (ITF) US$ 3 milhões.

Além disso, uma nova revelação sobre as contas recém-publicadas do COI de 2020 sugere que o apoio financeiro dado às federações internacionais no ano passado pode, na verdade, ter totalizado US$ 40,66 milhões. Espera-se, agora, que as somas emprestadas sejam descontadas das quantias que cada entidade tem direito pela participação do seu esporte na nos Jogos Olímpicos.

As contas da UCI também revelam que a remuneração de Lappartient, incluindo subsídios, encargos sociais e custos de pensão, subiu cerca de US$ 4 mil de 2019 para 2020. Suas despesas de viagem, no entanto, caíram de US$ 138 mil para US$ 60 mil.

Outras Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *